A complicada dança dos números na vida do Palmeiras

Há muitas rodadas o torcedor palmeirense está sendo obrigado a se embrenhar no irritante mundo das contas em relação ao futuro de seu time no Brasileirão 2012. Cada rodada sem vitórias torna esses cálculos mais complicados, sofridos, angustiantes. E agora, quando temos apenas nove partidas e 27 pontos em jogo, o cheiro de caca paira no ar.

Nunca a nossa situação esteve tão ruim. No momento, ocupamos a posição de número 18 na tabela. Um ponto abaixo do Sport, o décimo-sétimo posto, e absurdos nove pontos abaixo de Bahia, Flamengo e Coritiba, todos com 35 pontos ganhos e, respectivamente, nas posições de número 16, 15 e 14.

A boa notícia (ao menos uma!) é o fato de termos confrontos contra Bahia e Flamengo, o que reduziria essa distância a seis pontos, em relação a esses dois clubes. Obviamente, se ganharmos essas duas partidas, o que não ocorreu no caso na disputa contra o Coritiba. Mas convenhamos: é muito ponto a descontar em poucos jogos. Dá, sim. Matematicamente, sim.

Um fator está atrapalhando e muito a missão alviverde. Está ocorrendo no campeonato o que eu defino como “efeito revezamento” por parte dos concorrentes do Palmeiras na luta contra o rebaixamento. O que seria isso? Eu explico melhor para os amigos, irmãos (irmãs) e camaradas de Mondo Verde.

Em uma determinada rodada, o time A perde. Na seguinte ele ganha, de um hipotético time B. Na posterior, esse time B ganha do C. E assim vai. Todos vão somando pontos e aumentando, de forma coletiva, a distância para o Palmeiras. Que, por sua vez, não se cansa de perder. Aí, nem com reza brava a coisa melhora pro nosso lado!

O problema que gerou todo esse sufoco, como todos nós sabemos, é a falta de comando no clube, além da inexistência de autocontrole e autoconfiança por parte dos jogadores. Durante os 90 minutos da partida desta quinta-feira (11) contra o Coritiba, era visível a falta de confiança da maior parte dos atletas palmeirenses. Se eles não acreditarem e se o treinador não conseguir criar um clima positivo, já viu, é caixão e vela preta! Enquanto isso, tome contas e mais contas. A gente sofre, heim, galera?