Palmeiras perde a terceira seguida no Brasileiro

Por Fabian Chacur

Está difícil para o torcedor palmeirense agüentar esse segundo turno do Brasileiro 2011. A equipe, que só conseguiu vencer duas partidas seguidas em uma única ocasião, durante toda a competição, amargou nesta noite de domingo (30) em Minas Gerais sua terceira derrota consecutiva, desta vez contra o Atlético-MG. O placar foi o mesmo dos tropeços anteriores, 2 a 1 para o adversário.

Como tem sido praxe nos últimos 13 jogos, as mudanças na escalação para a partida de hoje não alteraram em nada o padrão alviverde de atuar: excesso de erros de passes, espaços generosos para o adversário criar, falhas do sistema defensivo…

Embora limitado, o Atlético-MG veio para cima, impulsionado pelos mais de 17 mil torcedores que vieram apoiar sua equipe. Eles criaram boas chances aos 4 minutos, com Leonardo Silva de cabeça, e aos 10 minutos, em bela jogada individual de Bernard.

Aos 26 minutos, Chico cabeceou com firmeza e obrigou o goleiro adversário a fazer grande defesa. Aos 31 minutos, Réver quase abriu o marcador, cabeceando bola perigosa.

O torcedor palmeirense até ficou esperançoso aos 35 minutos. Valdívia, em uma rara jogada a altura de seu brilho nesta partida, lançou Luan, que colocou Fernandão na cara do gol. O atacante finalizou mal e permitiu ao goleiro adversário a defesa.

Um minuto depois, Neto Berola recebeu lançamento, matou bem a bola e finalizou com segurança, sem chances para Deola.

A segunda etapa teve início com os jogadores treinados por Cuca pressionando. Aos 14 minutos, Daniel Carvalho bate falta e a bola passa perto. Inoperante, Fernandão deu sua vaga a Vinícius aos 16 minutos.

Aproveitando-se de grotesco erro de passe quando estávamos no ataque, o Atlético-MG iniciou um rápido contra-ataque que permitiu a Felipe Souto ampliar o marcador, aos 17 minutos.

Com 2 a 0 contra, Felipão resolveu trocar Márcio Araújo e Tinga por João Vitor e Maikon Leite, respectivamente aos 18 e aos 22 minutos.

Como dizem por aí que desgraça pouca é bobagem, Mauricio Ramos e Valdívia foram expulsos aos 22 e aos 28 minutos. O cheiro de uma goleada mineira surgia no ar.

No entanto, o Galo passou a jogar sem o mesmo interesse, e mesmo com dois atletas a menos em campo o Palmeiras foi para cima do adversário e conseguiu um gol aos 38 minutos, em bela jogada de Maikon Leite, que cruzou para cabeçada certeira de Luan.

Até o finalzinho, só deu Palmeiras, e Chico quase empatou aos 43 minutos, mais uma vez de cabeça. Aí, o gás dos nossos jogadores acabou, e o Atlético teve pelo menos três chances claras de ampliar o marcador, sendo uma delas evitada por grande defesa de Deola.

Ainda nos restam seis partidas para nos livrarmos desse campeonato “lazarento”, como diria Flávio Canuto.

Será que iremos agüentar?