15 de agosto de 2022
Início » A VIDA DOS OUTROS – Edição 25/6/2022

A VIDA DOS OUTROS – Edição 25/6/2022

Por Fabian Chacur

Considerações e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

 

 *****

 DORIVAL JUNIOR E O CONTRATO ATÉ O FIM DO ANO-1

O Turco Mohamed conseguiu escapar do “paredão” do BBB dos Treinadores graças a duas vitórias contra o Flamengo. E fica no ar o clima de que, embora tenha acabado de chegar, Dorival Júnior logo possa ter protagonismo nessa disputa ingrata.

Até agora, o “treinador com DNA palmeirense” disputou quatro partidas no comando do clube carioca. São três derrotas e apenas uma vitória, e esta contra o glorioso Cuiabá. É muito cedo para imaginar ele demitido, mas o Brasil é imprevisível nessa área.

 

*****

DORIVAL JUNIOR E O CONTRATO ATÉ O FIM DO ANO-2

 O curioso é o fato de Júnior ter assinado contrato com validade apenas até final deste ano. Um prazo bem curto, ao contrário do ao menos um ano que os treinadores costumam ter, lógico que no papel, pois com frequência caem muito mais rápido do que isso.

No entanto, fica a ironia: será que o ex-técnico do Ceará conseguirá cumprir esse contrato em sua totalidade? Porque basta ele cair fora da Libertadores perante o Deportivo Tolima (de triste memória para a gambazada) para o seu cargo dar uma balançada bacana.

 

*****

FABIAN “XARÁ” BUSTOS NA MARCA DO PÊNALTI-1

Enquanto isso, o treinador argentino Fabián Bustos (FOTO), meu digno xará, começa a sentir os efeitos de ser treinador por aqui. Antes da partida contra o Corinthians pela Copa do Brasil, recebia grandes elogios por parte dos jornalistas esportivos.

Pois foi só tomar uma chacoalhada de 4×0 do rival na Arena Itaquera para a sua cabeça começar a ser colocada a prêmio. Lógico que uma goleada dessas não é para se engolir com facilidade, mas basta olhar o elenco do Santos para se ver que não é exatamente uma seleção.

 

*****

FABIAN “XARÁ” BUSTOS NA MARCA DO PÊNALTI-2

 Contando com veteranos bem longe de seus auges técnicos e garotos ainda precisando amadurecer um pouco mais, Bustos até que deu uma feição minimamente digna ao clube. A goleada sofrida no clássico pode ser considerada o chamado “ponto fora da curva”.

Para sorte (ou muito azar) do argentino, no entanto, o Santos encara neste fim de semana o mesmo adversário no mesmo local, só que desta vez pelo Brasileirão. Nova derrota provavelmente lhe custará o cargo. E depois ainda perguntam por que técnicos ganham tão bem…

 

*****

Semana que vem tem mais, se Deus quiser! Agradeço aos patéticos adversários, sempre me fornecendo boa munição, e aos frequentadores de Mondo Verde! E nunca se esqueçam: o bom-humor ajuda a evitar ataques cardíacos, derrames, tentativas de suicídio etc